Stephanie Gilmore vence o Oi Rio Pro

 

 

By João Carvalho

A australiana Stephanie Gilmore segue firme na busca pelo seu sétimo título mundial com a primeira vitória conquistada na etapa brasileira do World Surf League Championship Tour. Ela ganhou o confronto direto pela lycra amarela do Jeep Leaderboard na final do Oi Rio Pro com vice-líder Lakey Peterson e agora abriu quase 4.000 pontos de vantagem sobre a norte-americana, que barrou a brasileira Tatiana Weston-Webb nas semifinais. Na quarta-feira de ótimas ondas de 4-6 pés na Praia de Itaúna, também foi decidida as quartas de final masculinas e os brasileiros vão disputar todas as baterias. Filipe Toledo ganhou a primeira nota 10 em Saquarema e Gabriel Medina, Michael Rodrigues e Yago Dora, também se classificaram para o último dia. Na quinta-feira, a primeira chamada do dia será as 6h45 em Saquarema.

Filipe Toledo no aéreo nota 10 (Foto: @WSL / Poullenot)

A quarta-feira começou com a batalha por vagas nas quartas de final femininas e a cearense Silvana Lima foi o destaque da terceira fase, registrando imbatíveis 15,90 pontos com a nota 8,90 da sua melhor onda. Depois, começou a dos homens com um confronto 100% brasileiro para decidir os dois primeiros classificados. O cearense Michael Rodrigues começou bem e liderou boa parte da bateria, até o paulista Filipe Toledo entrar em ação para comandar o show nas esquerdas de Itaúna.

Ele assumiu a ponta com uma nota 8,33 massacrando uma onda com manobras potentes e na seguinte arriscou um aéreo incrível, voando muito alto para fazer o giro completo no ar e aterrisar com perfeição. Os juízes concordaram com a vibração da torcida e deram a primeira nota 10 do Oi Rio Pro para ele se tornar o recordista absoluto do campeonato, com 18,33 pontos de 20 possíveis. Michael Rodrigues passou em segundo para as quartas de final e o pernambucano Ian Gouveia terminou em nono lugar na etapa brasileira do CT.

“Na verdade, naquela hora eu estava bem nervoso ainda, com medo do Ian (Gouveia) e do Michael (Rodrigues) virarem a bateria, pois são dois surfistas com imenso talento pra fazer isso. Mas aquela onda veio, eu estava no lugar certo na hora certa e Deus me abençoou com a nota 10”, contou Filipe Toledo. “Não foi uma onda boa para manobrar, então fiquei tentando sempre buscar a melhor sessão, consegui fazer uma manobra e quando eu tava chegando na parte boa dela, já estava vindo uma sessão animal pro aéreo e só pensei que a hora era aquela, então fui com tudo e deu certo, graças a Deus”.

Gabriel Medina (Foto: @WSL / Poullenot)

Pela primeira vez na história do World Surf League Championship Tour, iniciada em 1992, uma etapa valendo título mundial poderá ter quatro brasileiros disputando as semifinais. Isso porque eles estão em todas as baterias das quartas de final do Oi Rio Pro. A primeira será entre Filipe Toledo e o americano Kolohe Andino, o cearense Michael Rodrigues entra na segunda com o australiano Julian Wilson, que está defendendo a lycra amarela do Jeep Leaderboard, Gabriel Medina enfrenta o australiano Wade Carmichael na terceira e a briga pela última vaga nas semifinais será entre o catarinense Yago Dora e o havaiano Ezekiel Lau.

DECISÃO FEMININA – Enquanto oito homens ainda estão na briga pelo título masculino do Oi Rio Pro, o feminino já foi conquistado pela australiana Stephanie Gilmore na quarta-feira. As duas finalistas tiveram que entrar no mar para competir quatro vezes. A campeã começou o dia perdendo para a também australiana Nikki Van Dijk a segunda classificatória para as quartas de final. Depois, passou por Sally Fitzgibbons e pela própria Nikki Van Dijk nas semifinais, antes de conseguir sua primeira vitória no Brasil surfando duas direitas na bateria final na Praia de Itaúna.

Stephanie Gilmore (Foto: @WSL / Daniel Smorigo)

“Finalmente eu consegui vencer aqui, pois já faz um tempão que estou atrás de uma vitória aqui no Brasil”, disse Stephanie Gilmore. “Tive alguns momentos difíceis aqui e é sempre um desafio competir com tantas meninas talentosas que estão no Tour. Mas, eu adoro o Brasil, esse lugar é lindo e me diverti bastante. Consegui tocar minha guitarra num show com as meninas (Lakey Peterson e Carissa Moore) essa semana, peguei altas ondas e só quero agradecer a todos os fãs do Brasil. Muito obrigada amigos e já estou ansioso para voltar aqui no ano que vem”.

A norte-americana Lakey Peterson poderia recuperar a liderança do ranking se vencesse o Oi Rio Pro, mas ela só conseguiu achar uma onda boa e o placar terminou em 11,53 a 8,00 para a australiana. Para chegar na decisão do título, a californiana derrotou a gaúcha Tatiana Weston-Webb numa semifinal muito disputada, encerrada em 11,27 a 10,40 pontos. Antes, já tinha deixado a tricampeã mundial Carissa Moore nas quartas de final e só não venceu a sua primeira bateria no dia, quando a cearense Silvana Lima fez a melhor apresentação da quarta-feira, recebendo uma nota 8,90 e totalizando 15,90 pontos de 20 possíveis.

Lakey Peterson (Foto: @WSL / Daniel Smorigo)

“Foi um evento incrível e só tenho que agradecer todo esse público que encheu a praia para assistir a gente, foi muito divertido”, disse Lakey Peterson. “Saquarema é uma cidade linda, pegamos altas ondas nas esquerdas aqui de Itaúna, os meninos estavam quebrando nas direitas lá na Barrinha e hoje (quarta-feira) aqui parecia Cloudbreak quando está pequeno. Estou feliz em continuar numa boa posição na corrida pelo título mundial junto com a Stephanie (Gilmore) e agora já vou começar a focar na próxima etapa, em Bali”.

BRASILEIRAS – A norte-americana impediu que a gaúcha Tatiana Weston-Webb fizesse sua segunda final no ano com Stephanie Gilmore, como na etapa de Bells Beach que a hexacampeã mundial ganhou na Austrália. Mesmo com a derrota nas semifinais, Tatiana ganhou uma posição no ranking e agora é a terceira colocada no Jeep Leaderboard. Essa foi a primeira vez que ela competiu como brasileira no Circuito Mundial, pois sempre representava o Havaí onde mora desde criança e agora decidiu passar a defender o país onde ela nasceu.

Tatiana Weston-Webb (Foto: @WSL / Poullenot)

“Tentei não colocar muita pressão em mim agora que estou representando o Brasil no Tour, consegui manter a calma e estou bem feliz com meu resultado e todo o apoio que recebi da torcida aqui”, disse Tatiana Weston-Webb. “Saquarema é um lugar que tem bastante energia positiva e aconteceram muitas coisas boas nessa semana. Teve o meu aniversário (de 22 anos em 9 de maio), vai ter o do Yago (Dora) na sexta-feira, nossas famílias são muito amigas, o pai dele é meu técnico também, então no geral está sendo tudo muito divertido aqui. Gosto muito dessa onda de Itaúna, gostei da Barrinha também e saio daqui bem feliz com tudo”.

A última bateria que a gaúcha Tatiana Weston-Webb venceu em Saquarema foi justamente contra a outra brasileira da elite mundial, a cearense Silvana Lima. As duas se enfrentaram nas quartas de final e Silvana vinha embalada da grande apresentação na fase anterior. No entanto, a baixinha não conseguiu achar boas ondas para surfar na bateria e Tatiana pegou as melhores para vencer fácil por 15,33 a 4,60 pontos. Silvana permanece em décimo lugar no ranking das quatro etapas completadas no Brasil. A próxima começa dia 29 na Indonésia.

Silvana Lima (Foto: @WSL / Poullenot)

O Oi Rio Pro está sendo transmitido ao vivo de Saquarema pelo www.worldsurfleague.com para o mundo todo também pelo Facebook Live e pelo aplicativo da World Surf League. Agora só falta um dia para encerrar a etapa brasileira do World Surf League Championship Tour e a primeira chamada da quinta-feira será as 6h45 na Praia de Itaúna.

O World Surf League Championship Tour tem patrocínio global da Corona, Jeep, Airbnb e Hurley e a Oi como patrocinador “naming rights” da etapa brasileira, que é realizada com o importante apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro, viabilizado pela Secretaria Estadual de Esporte, Lazer e Juventude (SEELJE), e da Prefeitura Municipal de Saquarema. O Oi Rio Pro 2018 também conta com apoio institucional da Confederação Brasileira de Surf (CBSurf), Federação de Surf do Estado do Rio de Janeiro (FESERJ) e Associação de Surf de Saquarema (ASS).

Stephanie Gilmore (Foto: @WSL / Daniel Smorigo)

A OI E O ESPORTE – A companhia patrocina grandes eventos esportivos, equipes e atletas de diferentes modalidades como surfe, skate e eventos de cultura urbana. Além de patrocinar pelo quarto ano consecutivo o Oi Rio Pro, a Oi patrocina os surfistas brasileiros de destaque na WSL: Gabriel Medina, Ítalo Ferreira, Filipe Toledo, Silvana Lima e Adriano de Souza, o Mineirinho, além do surfista Davizinho, de 12 anos, atual vice-campeão mundial de surfe adaptado. Recentemente, como parte do legado do patrocínio aos Jogos Cariocas de Verão de 2016 e 2017, a Oi construiu pistas de skate em Manguinhos e São João da Barra e reformou o park de Campo Grande – aproveitando assim o grande potencial do esporte urbano para aproximar culturas e realidades, promovendo encontros e transformando espaços públicos.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensesn, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

——————————————————————

João Carvalho – Assessoria de Imprensa do Oi Pro Rio – jcarvalho@worldsurfleague.com

Assessoria de Imprensa da Oi – Adriana Castelo Branco – adriana.castelobranco@oi.net.br

——————————————————————

QUARTAS DE FINAL DO OI RIO PRO EM SAQUAREMA:

1.a: Filipe Toledo (BRA) x Kolohe Andino (EUA)

2.a: Julian Wilson (AUS) x Michael Rodrigues (BRA)

3.a: Gabriel Medina (BRA) x Wade Carmichael (AUS)

4.a: Ezekiel Lau (HAV) x Yago Dora (BRA)

QUARTA FASE – 1.o e 2.o=Quartas de Final / 3.o=9.o lugar com 3.700 pontos e US$ 14.700:

1.a: 1-Filipe Toledo (BRA)=18.33, 2-Michael Rodrigues (BRA)=10.94, 3-Ian Gouveia (BRA)=8.00

2.a: 1-Julian Wilson (AUS)=12.73, 2-Kolohe Andino (EUA)=11.90, 3-Kanoa Igarashi (JPN)=9.43

3.a: 1-Gabriel Medina (BRA)=11.84, 2-Ezekiel Lau (HAV)=9.73, 3-Sebastian Zietz (HAV)=9.00

4.a: 1-Yago Dora (BRA)=13.94, 2-Wade Carmichael (AUS)=11.40, 3-John John Florence (HAV)=8.00

DECISÃO DO TÍTULO DO OI RIO WOMEN´S PRO:

Campeã: Stephanie Gilmore (AUS) por 11,53 pontos (6,43+5,10) – US$ 65.000 e 10.000 pontos

Vice-campeã: Lakey Peterson (EUA) com 8,00 pontos (4,33+3,67) – US$ 33.000 e 7.800 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar com 6.085 pontos e US$ 21.000 de prêmio:

1.a: Stephanie Gilmore (AUS) 11.00 x 9.67 Nikki Van Dijk (AUS)

2.a: Lakey Peterson (EUA) 11.27 x 10.40 Tatiana Weston-Webb (HAV)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com 4.745 pontos e US$ 14.475 de prêmio:

1.a: Stephanie Gilmore (AUS) 13.06 x 10.00 Sally Fitzgibbons (AUS)

2.a: Nikki Van Dijk (AUS) 10.83 x 5.77 Keely Andrew (AUS)

3.a: Tatiana Weston-Webb (BRA) 15.33 x 4.60 Silvana Lima (BRA)

4.a: Lakey Peterson (EUA) 12.67 x 9.57 Carissa Moore (HAV)

TERCEIRA FASE – 1.a e 2.a=Quartas de Final / 3.a=9.o lugar com 3.085 pontos e US$ 11.500:

1.a: 1-Sally Fitzgibbons (AUS)=11.17, 2-Keely Andrew (AUS)=9.64, 3-Tyler Wright (AUS)=6.17

2.a: 1-Nikki Van Dijk (AUS)=14.36, 2-Stephanie Gilmore (AUS)=12.50, 3-Caroline Marks (EUA)=4.67

3.a: 1-Silvana Lima (BRA)=15.90, 2-Lakey Peterson (EUA)=15.23, 3-Johanne Defay (FRA)=13.16

4.a: 1-Carissa Moore (HAV)=15.33, 2-Tatiana Weston-Webb (BRA)=11.50, 3-Sage Erickson (EUA)=11.34

TOP-10 DO JEEP LEADERBOARD – RANKING WSL 2018 – 4 etapas:

01: Stephanie Gilmore (AUS) – 29.490 pontos

02: Lakey Peterson (EUA) – 25.630

03: Tatiana Weston-Webb (BRA) – 20.020

04: Carissa Moore (HAV) – 18.980

05: Caroline Marks (EUA) – 17.000

06: Nikki Van Dijk (AUS) – 16.965

07: Tyler Wright (AUS) – 15.660

07: Johanne Defay (FRA) – 15.660

09: Keely Andrew (AUS) – 15.325

10: Sally Fitzgibbons (AUS) – 15.305

10: Silvana Lima (BRA) – 15.305

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*

4 × 4 =