Seleção Brasileira escalada para o CT/2017

A temporada 2017 do World Surf League Championship Tour começa com três etapas na Austrália e o Quiksilver Pro Gold Coast abre a corrida do título mundial nos dias 14 a 25 de março nas ondas de Snapper Rocks, em Queensland, Austrália. Os nove integrantes da “seleção brasileira” no grupo dos top-34 do CT, já estão escalados em oito das doze baterias da primeira fase. Isso porque o campeão mundial Gabriel Medina está junto com Wiggolly Dantas na quarta, enquanto os outros vão estrear contra dois surfistas de outros países. E o Brasil também volta a ser representado na disputa do título mundial feminino por Silvana Lima, que recuperou sua vaga vencendo o ranking do WSL Qualifying Series no ano passado.

Silvana Lima (Foto: Grant Sproule - WSL)
Silvana Lima (Foto: Grant Sproule – WSL)

A cearense é mais experiente entre as top-17 que vai disputar o título mundial esse ano. Ela tem 32 anos e os aéreos serão uma das suas armas para competir contra meninas com idade entre 20 e 25 na maioria. Silvana foi vice-campeã mundial nas temporadas de 2008 e 2009 e, ainda durante o tetracampeonato da australiana Stephanie Gilmore, ficou em terceiro lugar no ranking de 2007 e em quarto no de 2010. Esta é a segunda vez que a brasileira retorna ao CT como campeã do QS, repetindo o feito de 2014. A nova estreia de Silvana Lima será na quarta bateria do Roxy Pro Gold Coast, contra a atual vice-campeã mundial Courtney Conlogue e a francesa Pauline Ado.

Ian Gouveia vencendo o QS 10000 Azores Airlines Pro em Portugal no ano passado (Foto: Laurent Masurel - WSL)
Ian Gouveia vencendo o QS 10000 Azores Airlines Pro em Portugal no ano passado (Foto: Laurent Masurel – WSL)

No Quiksilver Pro Gold Coast, a participação brasileira começa na primeira bateria, com o potiguar Jadson André enfrentando o taitiano Michel Bourez, campeão do último Billabong Pipe Masters no Havaí, e o norte-americano Conner Coffin. E na segunda, o sobrenome Gouveia volta a aparecer em baterias do CT com o filho mais jovem de Fábio Gouveia, que fez parte da elite mundial até 2003. Ian Gouveia é a única novidade da “seleção brasileira” esse ano e seu primeiro desafio será contra dois australianos, Stuart Kennedy e o defensor do título dessa primeira etapa, Matt Wilkinson.

Depois, tem Brasil em dose dupla com Gabriel Medina e Wiggolly Dantas na quarta bateria, completada por outro novato na divisão principal da World Surf League, o havaiano Ezekiel Lau. Na disputa seguinte, entra Miguel Pupo com o vice-campeão mundial Jordy Smith e um dos convidados do Quiksilver Pro, que ainda não foram divulgados.

Filipe Toledo venceu o Quiksilver Pro em 2015 e foi semifinalista em 2016 (Foto: Kelly Cestari - WSL)
Filipe Toledo venceu o Quiksilver Pro em 2015 e foi semifinalista em 2016 (Foto: Kelly Cestari – WSL)

Duas baterias depois, Caio Ibelli estreia junto com o australiano Julian Wilson e o primeiro italiano da história a fazer parte da elite do surfe mundial, Leonardo Fioravanti. Logo após, o potiguar Italo Ferreira disputa a nona vaga direta para a terceira fase com o australiano Julian Wilson e mais um europeu classificado entre os dez indicados pelo QS no ano passado, o francês Joan Duru.

O outro foi o português Frederico Morais, que entra no confronto seguinte encabeçado por Filipe Toledo, campeão do Quiksilver Pro Gold Coast em 2015 e semifinalista no ano passado, quando se contundiu na volta de um aéreo contra Matt Wilkinson. Outro australiano, Adrian Buchan, completa essa décima bateria. Na 11.a, o campeão mundial Adriano de Souza fecha a participação brasileira contra dois australianos, Josh Kerr e Bede Durbidge.

Owen Wright no Oi Rio Pro 2015 no Brasil (Foto: Kelly Cestari - WSL)
Owen Wright no Oi Rio Pro 2015 no Brasil (Foto: Kelly Cestari – WSL)

RETORNO DE CONTUNDIDOS – Bede Durbidge é um dos dois surfistas que se contundiram gravemente na bancada de Pipeline em 2015, durante o Billabong Pipe Masters no Havaí. Eles ficaram de fora de toda a temporada passada se recuperando e retornam esse ano como convidados da World Surf League. O outro é Owen Wright, que sofreu uma lesão bem mais séria e confirmou sua participação depois de competir semanas atrás no QS 6000 de Newcastle. Ele foi escalado na bateria que vai fechar a primeira fase, com o havaiano Sebastian Zietz e o jovem australiano Ethan Ewing, vice-campeão do QS no ano passado.

“Eu estou muito grato pelo apoio dos meus amigos e familiares, dos meus patrocinadores, da WSL e de todas as pessoas do mundo que me enviaram pensamentos positivos durante toda a minha recuperação”, disse Owen Wright. “Eu venho me sentindo mais forte a cada dia e estou muito ansioso em voltar ao Tour para competir durante toda a temporada de 2017”.

Gabriel Medina no tubo nota 10 em Fiji (Foto: Sloane - WSL)
Gabriel Medina no tubo nota 10 em Fiji (Foto: Sloane – WSL)

CAMPEÕES MUNDIAIS Diferente de 2016, todos os top-34 vão participar da etapa de abertura do World Surf League Championship Tour na Gold Coast esse ano. A temporada 2017 terá o maior número de campeões mundiais competindo dos últimos anos, nove no total, pois o tricampeão Mick Fanning também confirmou que vai disputar todas as etapas. O australiano pediu licença do circuito no ano passado, preferindo dar uma parada após perder dois títulos consecutivos para os brasileiros Gabriel Medina em 2014 e Adriano de Souza 2015.

Além de Fanning, Medina e Mineirinho, o troféu de número 1 do mundo em 2017 será disputado pelo eneacampeão Kelly Slater, por Joel Parkinson e pelo defensor do título, John John Florence. No World Surf League Women´s Championship Tour, serão três buscando mais um caneco de melhor surfista do mundo, a hexacampeã Stephanie Gilmore, a tricampeã Carissa Moore e a atual campeã, Tyler Wright, irmã mais jovem de Owen Wright.

O Quiksilver Pro Gold Coast e o Roxy Pro Gold Coast serão transmitidos ao vivo da Austrália a partir do dia 14 de março pelo www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Samsung Galaxy Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

PRIMEIRA FASE DO QUIKSILVER PRO – Vitória=Terceira Fase / 3.o e 4.o=Segunda Fase:

1.a: Michel Bourez (TAH), Conner Coffin (EUA), Jadson André (BRA)

2.a: Matt Wilkinson (AUS), Stuart Kennedy (AUS), Ian Gouveia (BRA)

3.a: Kolohe Andino (EUA), Kanoa Igarashi (EUA), Jack Freestone (AUS)

4.a: Gabriel Medina (BRA), Wiggolly Dantas (BRA), Ezekiel Lau (HAV)

5.a: Jordy Smith (AFR), Miguel Pupo (BRA), wildcard

6.a: John John Florence (HAV), Connor O´Leary (AUS), wildcard

7.a: Kelly Slater (EUA), Mick Fanning (AUS), Jeremy Flores (FRA)

8.a: Julian Wilson (AUS), Caio Ibelli (BRA), Leonardo Fioravanti (ITA)

9.a: Joel Parkinson (AUS), Italo Ferreira (BRA), Joan Duru (FRA)

10.a: Filipe Toledo (BRA), Adrian Buchan (AUS), Frederico Morais (PRT)

11.a: Adriano de Souza (BRA), Josh Kerr (AUS), Bede Durbidge (AUS)

12.a: Sebastian Zietz (HAV), Owen Wright (AUS), Ethan Ewing (AUS)

 

PRIMEIRA FASE DO ROXY PRO – Vitória=Terceira Fase / 2.a e 3.a=Segunda Fase:

1.a: Johanne Defay (FRA), Sally Fitzgibbons (AUS), Keely Andrew (AUS)

2.a: Tatiana Weston-Webb (HAV), Sage Erickson (EUA), Bronte Macaulay (AUS)

3.a: Tyler Wright (AUS), Nikki Van Dijk (AUS), wildcard

4.a: Courtney Conlogue (EUA), Silvana Lima (BRA), Pauline Ado (FRA)

5.a: Carissa Moore (HAV), Laura Enever (AUS), Coco Ho (HAV)

6.a: Stephanie Gilmore (AUS), Malia Manuel (HAV), Lakey Peterson (EUA)

 

TOP-22 DO JEEP WSL RANKING – 11 etapas com 2 descartes:

Campeão mundial: John John Florence (HAV) – 59.850 pontos

2.o: Jordy Smith (AFR) – 46.400

3.o: Gabriel Medina (BRA) – 45.450

4.o: Kolohe Andino (EUA) – 44.150

5.o: Matt Wilkinson (AUS) – 39.500

6.o: Michel Bourez (TAH) – 38.700

7.o: Kelly Slater (EUA) – 37.900

8.o: Julian Wilson (AUS) – 36.850

9.o: Joel Parkinson (AUS) – 35.700

10: Filipe Toledo (BRA) – 35.400

11: Adriano de Souza (BRA) – 35.350

12: Sebastian Zietz (HAV) – 31.950

13: Josh Kerr (AUS) – 30.650

14: Adrian Buchan (AUS) – 29.700

15: Italo Ferreira (BRA) – 27.500

16: Caio Ibelli (BRA) – 26.950

17: Mick Fanning (AUS) – 25.200

17: Conner Coffin (EUA) – 25.200

19: Stu Kennedy (AUS) – 24.700

20: Kanoa Igarashi (EUA) – 24.250

21: Wiggolly Dantas (BRA) – 23.650

22: Miguel Pupo (BRA) – 22.650

 

——–outros brasileiros no ranking:

26: Jadson André (BRA) – 17.500 pontos

32: Alejo Muniz (SC) – 14.250

35: Alex Ribeiro (SP) – 11.700

40: Bruno Santos (RJ) – 5.200

45: Deivid Silva (SP) – 1.750

45: Marco Fernandez (BA) – 1.750

45: Lucas Silveira (RJ) – 1.750

49: Bino Lopes (BA) – 500

 

10 CLASSIFICADOS PELO QS PARA O CT 2017:

1.o: Connor O´Leary (AUS) – 24.025 pontos

2.o: Ethan Ewing (AUS) – 23.400

3.o: Frederico Morais (PRT) – 22.910

4.o: Joan Duru (FRA) – 22.500

5.o: Kanoa Igarashi (EUA) – 21.800 e top-22 do CT

6.o: Leonardo Fioravanti (ITA) – 20.800

7.o: Jeremy Flores (FRA) – 20.650

8.o: Jadson André (BRA) – 19.700

9.o: Ian Gouveia (BRA) – 19.450

10.o: Jack Freestone (AUS) – 18.800

11.o: Ezekiel Lau (HAV) – 18.750

 

CONVIDADOS PARA O CT 2017 POR CONTUSÃO:

38.o no CT: Bede Durbidge (AUS)

42.o no CT: Owen Wright (AUS)

 

ORDEM DOS SUBSTITUTOS DOS TOP-34 NO CT 2017:

23.o do CT: Nat Young (EUA)

12.o do QS: Bino Lopes (BRA)

24.o do CT: Keanu Asing (HAV)

13.o do QS: Jessé Mendes (BRA)

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*

10 + um =