Brasileiros já estão escalados para o CT 2018

By João Carvalho 

A nova “seleção brasileira” já está escalada para estrear na temporada 2018 do World Surf League Championship Tour na Austrália. Os campeões mundiais Adriano de Souza e Gabriel Medina, os também paulistas Filipe Toledo e Caio Ibelli, o potiguar Italo Ferreira, o pernambucano Ian Gouveia e as novidades do time este ano, o paulista Jessé Mendes, os catarinenses Tomas Hermes, Yago Dora, Willian Cardoso e o cearense Michael Rodrigues, já sabem as primeiras baterias que vão disputar no Quiksilver Pro Gold Coast, que começa no dia 11 de março nas direitas de Snapper Rocks, na Austrália.


Gabriel Medina na Gold Coast em 2017 (Foto: @WSL / Sloane)

Neste ano, pela primeira vez na história do Circuito Mundial, a maioria de surfistas da divisão de elite não será de australianos e foram os brasileiros que quebraram este tabu que norte-americanos e havaianos nunca conseguiram. São tantos, que alguns irão se enfrentar nesta rodada em que a vitória vale passagem direta para a terceira fase, mas os perdedores têm uma segunda chance de classificação na repescagem. Os onze titulares da “seleção verde-amarela” foram divididos em oito baterias, ou seja, três delas terão dois disputando a vaga direta para a terceira fase com um surfista de outro país.

A primeira participação dupla será na quinta bateria, encabeçada pelo campeão mundial de 2014 e vice do ano passado, Gabriel Medina. O potiguar Italo Ferreira foi escalado junto com ele e o terceiro componente será um dos dois convidados (wildcards) do evento. Na sétima bateria, o outro campeão mundial do Brasil, Adriano de Souza, número 1 de 2015, está com um dos estreantes deste ano, Willian Cardoso, além do igualmente experiente australiano, Adrian Buchan.

Outro catarinense que vai disputar o CT pela primeira vez, Tomas Hermes, está na décima, encabeçada por Filipe Toledo e pelo português Frederico Morais. Os outros novatos também já conhecem seus dois adversários e devem estar ansiosos para vestir a lycra de competição do Quiksilver Pro Gold Coast para entrar na água em Snapper Rocks.


Jesse Mendes (Foto: @WSL / Smith)

O cearense Michael Rodrigues foi o último brasileiro a ser confirmado no CT 2018 e será o primeiro deles a competir, na segunda bateria com o australiano Matt Wilkinson e o taitiano Michel Bourez. Ele compete logo depois do paulista Caio Ibelli abrir o campeonato com o defensor do título desta etapa, Owen Wright, da Austrália, e o havaiano Ezekiel Lau.

O jovem catarinense Yago Dora estreia na nona bateria, com os experientes Joel Parkinson e Jeremy Flores. E o paulista Jessé Mendes já vai encarar dois grandes ídolos da sua geração de uma vez só, os campeões mundiais Kelly Slater e Mick Fanning. Quem também compete sozinho com dois surfistas de outros países é o pernambucano Ian Gouveia, na quarta bateria com o australiano Julian Wilson e o francês Joan Duru.

MAIORIA BRASILEIRA – A temporada 2018 coroa o Brasil como uma das maiores potências do esporte, pois pela primeira vez na história, a maioria de surfistas na elite que disputa o título mundial, não é de australianos. Os brasileiros conseguiram este feito inédito mantendo seis dos nove integrantes do time de 2017 e conquistando metade das dez vagas do WSL Qualifying Series.


Adriano de Souza (Foto: @WSL / Sloane)

A Austrália só conseguiu uma com Wade Carmichael e perdeu cinco dos doze surfistas que disputaram o CT em 2017, ficando apenas oito para esse ano, como os veteranos campeões mundiais Mick Fanning e Joel Parkinson. O time norte-americano manteve os quatro de 2017, como Kelly Slater, mas terá dois reforços, o estreante Griffin Colapinto e Patrick Gudauskas retornando a elite com a última vaga no G-10 do QS. O Havaí aumentou sua equipe de três para quatro surfistas, a França permanece com os dois do ano passado, assim como a África do Sul com Jordy Smith, Portugal com Frederico Morais e o Taiti com Michel Bourez.

O prazo do Quiksilver Pro Gold Coast começa em 11 de março e vai até o dia 22 em Snapper Rocks, com a etapa de abertura do World Surf League Championship Tour 2018 sendo transmitida ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo Facebook Live da WSL.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL) tem como objetivo celebrar o melhor surfe do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.


Filipe Toledo (Foto: @WSL / Sloane)

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, realizando mais de 180 eventos globais que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis, para coroar os campeões de todas as divisões do Circuito Mundial.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL tem uma enorme legião de fãs apaixonados pelo surf em todo o mundo, que acompanham ao vivo as apresentações de grandes estrelas, como Tyler Wright, John John Florence, Paige Alms, Kai Lenny, Taylor Jensesn, Honolua Blomfield, Mick Fanning, Stephanie Gilmore, Kelly Slater, Carissa Moore, Gabriel Medina, Courtney Conlogue, entre outros, competindo no campo de jogo mais imprevisível e dinâmico entre todos os esportes no mundo.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com.

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

QUIKSILVER PRO GOLD COAST – Vitória=Terceira Fase / 2.o e 3.o=Segunda Fase:

1.a: Owen Wright (AUS), Caio Ibelli (BRA), Ezekiel Lau (HAV)

2.a: Matt Wilkinson (AUS), Michel Bourez (TAH), Michael Rodrigues (BRA)

3.a: Jordy Smith (AFR), Conner Coffin (EUA), Patrick Gudauskas (EUA)

4.a: Julian Wilson (AUS), Joan Duru (FRA), Ian Gouveia (BRA)

5.a: Gabriel Medina (BRA)Italo Ferreira (BRA), convidado

6.a: John John Florence (HAV), Griffin Colapinto (EUA), convidado

7.a: Kolohe Andino (EUA), Kanoa Igarashi (EUA), Keanu Asing (HAV)

8.a: Adriano de Souza (BRA), Adrian Buchan (AUS), Willian Cardoso (BRA)

9.a: Joel Parkinson (AUS), Jeremy Flores (FRA), Yago Dora (BRA)

10.a: Filipe Toledo (BRA), Frederico Morais (PRT), Tomas Hermes (BRA)

11.a: Sebastian Zietz (HAV), Connor O´Leary (AUS), Wade Carmichael (AUS)

12.a: Mick Fanning (AUS), Kelly Slater (EUA), Jessé Mendes (BRA)

TOP-22 DO JEEP WSL LEADERBOARD – Ranking Final das 11 etapas de 2017 com 2 descartes:

01: John John Florence (HAV) – 59.600 pontos

02: Gabriel Medina (BRA) – 53.700

03: Julian Wilson (AUS) – 48.650

04: Jordy Smith (AFR) – 47.600

05: Matt Wilkinson (AUS) – 40.700

06: Owen Wright (AUS) – 39.850

07: Kolohe Andino (EUA) – 37.250

08: Adriano de Souza (BRA) – 36.600

09: Joel Parkinson (AUS) – 36.550

10: Filipe Toledo (BRA) – 35.450

11: Sebastian Zietz (HAV) – 34.450

12: Mick Fanning (AUS) – 33.000

13: Connor O´Leary (AUS) – 29.950

14: Frederico Morais (PRT) – 29.900

15: Jeremy Flores (FRA) – 29.700

16: Adrian Buchan (AUS) – 27.750

17: Kanoa Igarashi (EUA) – 27.200

18: Caio Ibelli (BRA) – 25.250

19: Michel Bourez (TAH) – 24.950

20: Conner Coffin (EUA) – 24.500

21: Joan Duru (FRA) – 23.400

22: Italo Ferreira (BRA) – 22.400

CONVIDADOS DA WSL PARA O CT 2018:

23: Ian Gouveia (BRA) – 20.250 pontos

28: Kelly Slater (EUA) – 17.700

LISTA DOS DEZ INDICADOS PELO QS PARA O CT 2018:

1.o: Griffin Colapinto (EUA) – 26.900 pontos

2.o: Jessé Mendes (BRA) – 25.400

X-3: Kanoa Igarashi (EUA) – 23.030 e top-22 do CT

4.o: Wade Carmichael (AUS) – 21.400

5.o: Tomas Hermes (BRA) – 20.880

6.o: Yago Dora (BRA) – 20.450

X-7: Italo Ferreira (BRA) – 20.360 e top-22 do CT

8.o: Willian Cardoso (BRA) – 19.000

9.o: Keanu Asing (HAV) – 16.950

10.o: Ezekiel Lau (HAV) – 16.750

11.o: Michael Rodrigues (BRA) – 16.550

X-12: Filipe Toledo (BRA) – 16.500 e top-22 do CT

13.o: Patrick Gudauskas (EUA) – 16.400

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*

4 × dois =