Sobre realizar sonhos

 Do que seriam as utopias, se não a nossa vontade de seguir em frente?  

 

Do que seriam os sonhos, se não forem realizados?  

Hawaii_foto_Mauricio_Drunn

Hawaii_foto Mauricio Drunn

Esse poder impressionante do raciocínio, o funcionamento do cérebro e o imaginário são três pilares fundamentais na concepção “racional” do ser humano.  

 

Imaginamos, almejamos, idealizamos.  Organizamos, planejamos, funcionalizamos.  Raciocinamos, planificamos, agimos.  

 

O mundo é feito de sonhos e da vontade de realizá-los. Dessa maneira, vivemos sempre no ápice de nossos desejos e aspirações, buscamos sempre o algo a mais.  

 

E quando conseguimos realizar aquele sonho longínquo, praticamente impossível, ou que nunca havia sido cogitado vivenciar?  

 

O resultado final sempre será um conjunto de situações que devem ser bem executadas. O caminho entre o sonho e sua realização é longínquo, é árduo. Tudo depende de como fazê-lo, ou percorrê-lo.  

 

Buscar na sua mais profunda lembrança, passar anos e finalmente realizar aquela viagem, fazer todos os arranjos possíveis e impossíveis.  

 

Dropar a onda dos sonhos, caminhar entre os maiores picos da história do esporte e respirar, viver o espírito do sentimento mais puro e sereno.  

Pipeline_Foto_Mauricio_Drunn

Pipeline_Foto Mauricio Drunn

Mas isso não depende somente de dinheiro. Para realizar um sonho, há a necessidade da organização diária, do preparo físico, psicológico, mental. Buscar lá no fundo uma superação dos seus próprios limites, ampliar o horizonte e deixar a mente aberta para receber novas ideias, novas culturas.  

 

Para realizar um sonho, é preciso estar preparado para o pior. Para todos os obstáculos que virão junto com a conquista, a logística reversa, a abdicação de prazeres, sair da zona de conforto.  

 

Além disso, é importante saber que nada disso é possível se não tornar seu sonho em imaginário coletivo. Não há caminhada solitária para o pote de ouro. A não ser que você seja um ermitão. Aos que estão do seu lado, nunca nos esqueçamos de agradecer por sonhar junto, por fazer a conquista ser saborosa, degustável.  

 

Não precisava citar, mas dizer que levar boas energias é também uma maneira de canalizar boas vibrações na jornada. Não deixar o sonho virar pesadelo.  

 

Enfim, o caminho é árduo, difícil e reconfortante. Posso dizer, e esse texto tem a ver com isso, que estou a ponto de finalizar o trajeto entre o sonho e sua realização, e que o caminho que percorri até então me transformou em outra pessoa. Aprendi muito com esta caminhada.  

 

O sonho será realizado, e de uma maneira melhor ainda do que imaginava.   Aos que sonharam junto, meu eterno agradecimento. Aos que fizeram o sonho possível, além do agradecimento, minha dedicação e felicidade.

 

Moacir Kienast

 

 

LEIA MAIS TEXTOS DA COLUNA LINHAS SALGADAS

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*

três × 4 =