Inveja x competência

Divulgação

Paul Speaker(CEO da WSL) foi Diretor de Marketing e ideias na Liga Nacional de Futebol, o presidente da Time Inc. Studios, Presidente da RKO Studios e, mais recentemente, o diretor independente para o Quiksilver, como parte do conselho de administração da organização.

 

 

 

 

Eu escutei, escuto e sei que ainda vou escutar muito essa frase: “Ele quer ser presidente da associação mas é um prego.”

Ouvi algo parecido de um “fulano” com relação a uma pessoa com excelentes intensões para evoluir o SUP no estado de SC. A frase dele foi assim: “Ele quer ser o gestor do campeonato de SUP mas nem sabe remar direito.”  Essa pessoa tem conhecimento de gestão, de marketing, de mercado, ou seja, tem todas as ferramentas para  fazer um ótimo trabalho e além disso é fã do esporte. Quer melhor que isso?!!! Pergunte a seus amigos empresários o quanto é difícil encontrar alguém disposto a fazer um trabalho sério, com conhecimento e com prazer. Pessoas assim são raras no mercado.

Os Fulanos que atrapalham a evolução do esporte

Esse “fulano”, ao qual me referi anteriormente, acredita que, para ser um presidente, ter cargo ou responsabilidades em uma associação ou federação de surf ou esportiva, tem que ser um exemplar atleta, que quebra nas ondas, que rema mais que um motor de 125HP mesmo não entendendo de gestão. E são de “fulanos” que nossas entidades estão cheias e que infelizmente afugenta gestores, pessoas com boa intensão e que procuram fazer um trabalho em prol do esporte num todo. Agora eu pergunto: Onde está a lógica disso? De que forma alguém sem preparo técnico pode garantir um ótimo funcionamento de uma associação? Está aí uma clara evidência da nossa cultura burra, sem meritocracia e generalizada de nosso país e que infelizmente foi absorvido pelo surf. Ta cheio de “fulano” que pega altas ondas, tubo, aéreo… mas não sabe interpretar uma panilha de excel. São uns pregos na prática da gestão. E vejam só, uma associação, federação ou uma empresa que queira evoluir precisa de que? Gestão!!! Quantos “fulanos” ainda irão passar pelo surf fazendo as associações chegarem no fim do poço para que, aí sim, possamos não dar mais ouvidos  a eles?

Desprestígio da gestão = inveja

Esses “Fulanos”, vai por mim, são pessoas invejosas ao qual reconhecem, para eles mesmos, que não basta ser um esportista apenas e sim um exímio conhecedor de técnicas, conteúdo, ações e funções para se destacar e fazer um ótimo trabalho. Reconhecem que não possuem condições para uma disputa sadia por um cargo e defecam esses tipos de frases. Para mim, são pessoas pobres, sem amor ao esporte, sem caráter, pois usam de argumentos amadores para elevar a sua baixa competência, além de baixar a alta competência de pessoas bem intencionadas e competentes.

Fulanos, como esse, que estragam o esporte. Pois ocupam cargos e funções que poderiam estar com pessoas mais preparadas. O esporte perde com isso, os atletas perdem, enfim, todos perdem. Só não temos consciência plena disso. Tenho certeza que se déssemos valor à meritocracia(veja o vídeo), teríamos nosso esporte muito mais evoluído. E quando digo isso, me refiro a condições melhores aos atletas, melhores investimentos de empresas em eventos, mais empresas do setor em evidência. O Brasil precisa urgentemente profissionalizar suas confederações, federações e associações para não escutarmos mais essas frases sem lógica e termos o surf no seu lugar merecido ao sol.

Diga me com quem andas e te direi quem és

Se você ouvir de alguém esse tipo de frase invejosa, saia de perto, não dê ouvidos e nem alimente esse tipo de coisa. Pessoas bem intencionadas não ficam queimando o filme dos outros e sem argumentos inteligentes.
Aos bem intencionados, altas ondas! Aos “fulanos”, muito caldo e muita vaca.

Aloha!
Marcelo Kobe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*

3 × três =