O Caranquejo

Montagem Nas Ondas com Banana

 

Essa foi testemunhada pelo Adilson Kruger, o dito, dono de um agradável recanto na rua Bagé, no bairro Atiradores em Joinville, Santa Catarina. Aconteceu com um amigo do Dito durante a captura de caranguejos. Ao enfiar a mão numa toca, um pernudo do mangue cravou uma das garras no polegar do caçador. Sacode de cá, sacode de lá, nada do bicho desgrudar. Desesperado, o caipora caiu na besteira de dar uma dentada naquela maldita garra. Ao sentir a pressão  das mandíbulas, o bicho  se contorceu e enfiou outra garra no nariz lazarento. Agoniado pela dor, o desastrado caçador deu um uivo, seguido de um espalhafatoso pulo. Acabou espatifando o caranguejo e a cara contra um pau de mangue. Por conta do forte impacto coitado ficou tres dias com o chanfro do nariz do tamanho e da cor de uma batata roxa, conta Dito Kruger.

 

Casos & Causos – Herculano Vicenzi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*

5 × 3 =